suspenção a ár de ônibus, como é , como funçiona e como instalar.

As molas pneumáticas substituem os feixes de molas utilizados na suspensão convencional e precisam de manutenção periódica para conseguir a melhor eficiência do componente.

Estabilidade, segurança e conforto são requisitos fundamentais para um motorista de caminhão, que roda milhares de quilômetros por dia carregando as nossas riquezas pelos mais diferentes tipos de estrada, muitas cheias de buracos, lombadas e irregularidades. Por isso, ter um sistema de suspensão eficiente e robusto é tão necessário nesses veículos, para absorver as trepidações, impactos e desgastes dos componentes sofridos devido ao peso da carga transportada.

Uma opção indicada para caminhões e muitoutilizada nos ônibus é a suspensão pneumática, na qual molas em formato de balão de ar substituem os feixes de molas encontrados no tipo convencional. Sua função é suportar o peso da carga e absorver a energia gerada pelas irregularidades do solo.

Esse impacto é sentido pelos pneus e transmitido para as molas que transforma essa energia de impacto em calor, pela compressão de ar dentro da mola pneumática, ou seja, do bolsão de ar. Então, o ar é liberado, determinando a freqüência de vibração do veículo, que quanto mais baixa, maior o conforto.

A suspensão pneumática, ou a ar, como é conhecida, está sendo incorporada aos poucos em caminhões e carretas, como peça de reposição, principalmente, nos veículos que transportam cargas frágeis e pesadas. De acordo com Daniel Nicolini, gerente de Contas molas Pneumáticas da Goodyear, a suspensão a ar instalada em um ônibus, por exemplo, permite que a distância entre o chão e o degrau seja constante, independente da variação do número de passageiros, gerando conforto, estabilidade e melhor dirigibilidade.

Esse sistema permite adequar e nivelar a carga transportada, o que reduz as trepidações e protege a mercadoria. O desgaste dos pneus é reduzido, a regulagem dos faróis não é tão afetada pelas irregularidades do solo e os instrumentos eletrônicos são protegidos. A suspensão pneumática tem custo de manutenção mais baixo e não requer lubrificação nas articulações, completa.

Por proporcionar uma rodagem mais suave, a suspensão a ar é empregada também em vagões ferroviários e de metrô, diz John Edwin Keith Young, gerente de Vendas da Fipil (unidade da Bridgestone responsável pela fabricação de molas Pneumáticas).

Os mesmos bolsões pneumáticos (ou foles) podem ser usados em automóveis e utilitários, principalmente como auxiliares das molas de aço do eixo traseiro para compensar a inclinação do veículo causada pela carga do porta-malas ou pelo reboque, alerta.
Os fabricantes explicam que é possível adaptar uma suspensão a ar em caminhões originalmente equipados com molas, para isso é necessária a utilização dos kits de suspensão a ar.

Além da bolsa de ar, outros componentes constituem a suspensão pneumática, sejam mecânicos e os pneumáticos. Os itens mecânicos são suporte dianteiro, viga principal, barras tensoras, mola parabólica, bolsão, amortecedor, suporte inferior dos bolsões e peças pequenas como grampos, suportes e grampo de eixo, que pode perder o aperto e causar a quebra da mola.

As buchas são trocadas quando apresentam desgaste visual, escoa do compartimento, por isso é muito importante torquear corretamente. O amortecedor especial, com stop hidráulico, absorve o impacto e segura a suspensão para baixo para não rasgar o bolsão.

As outras peças fazem parte do pacote pneumático do conjunto, como reservatório de ar exclusivo, válvula de suspensão, válvula de proteção – que impede o retorno do o ar do sistema -, válvula niveladora e mangueiras.

 

Existem os tipos de suspensão a ar com mola Z para eixo de tração e com braço rígido para carreta ou até 3º eixo. Deve-se ficar muito atento para aplicação correta do sistema, afirma Adelino Adilson de A. M. Correa, engenheiro mecânico da HBZ Sistema de suspensão a ar.

Manutenção fácil e necessária

Conforme as explicações dos fabricantes, a manutenção do sistema de suspensão pneumática é rápida e simples, mas precisa ser feita regularmente, para garantir a eficácia do conjunto e a durabilidade dos componentes. O procedimento inicia com a inspeção visual, sem que a bolsa esteja inflada.

Veja se não há contato entre a bolsa e outros componentes do sistema para evitar fricção. As válvulas niveladoras devem ser limpas e os parafusos reapertados com o torque indicado. Verifique os amortecedores em relação a vazamentos e o estado dos conectores e das tubulações. A limpeza da bolsa deve ser realizada com sabão neutro e água, evitando o uso de solventes, abrasivos e vapor pressurizado, esclarece Nicolini.

Além disso, de acordo com Young, é necessário revisar o diâmetro externo da bolsa em relação a rachaduras e desgastes irregulares, e verificar se há espaço suficiente ao redor da mola quando estiver inflada. Veja ainda se a suspensão está trabalhando na altura correta, estipulada pelo fabricante do veículo geralmente dentro de uma margem de ¼ de polegada. As válvulas niveladoras devem ser inspecionadas e limpas, a substituição é feita somente quando necessário.

Ainda na hora da manutenção os fabricantes recomendam que o técnico bloqueie a suspensão e verifique se há desgaste irregular ou acúmulo de sujeira na parte flexível (bolsa). Se for necessário efetuar a limpeza utilize Limpe, se necessário, com uma solução que não seja derivada de petróleo. Veja se há acúmulo de sujeira na base inferior.

As empresas também afirmam que se as manutenções períodicas forem realizadas dentro do prazo, os usuários usufruem dos benefícios por tempo indeterminado. Eventuais problemas são causados por fatores externos como objetos que perfuram, sujeira, pedrinhas que ficam na parte de cima e deteriora a peça.

Os problemas mais comuns, de acordo com o técnico da HBZ, são vazamentos de ar, problemas na altura do veículo quando o motorista desregulam a válvula e aumenta a altura do trabalho da suspensão, acima do fabricante – , e nos amortecedores que sofrem de super esforço.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s